26 de jul de 2013

Vias de Administração Parenteral

Pele: sua superfície não á habitualmente considerada local de absorção de fármacos; em geral, recebe medicamentos de efeitos tópicos, de lenta absorção e pequenos volumes. Exemplos: cremes e pomadas.

Região subcutânea e intramuscular: aqui acontece a absorção pelos capilares sanguíneos e, em menor escala, pelos linfáticos. A absorção ocorre principalmente por difusão simples e filtração, e a velocidade de absorção depende do tamanho da molécula, do coeficiente de participação e da riqueza do fluxo no local.
Mucosa conjuntival, mucosa genitourinária, peritônio e medula óssea: apesar de não serem locais habituais de absorção de fármacos, possuem membranas de fácil travessia e, portanto, capazes de absorver medicamentos.

Intravenosa, intra-arterial e intratecal: as duas primeiras são realizadas com infusão contínua, com a possibilidade de ajuste a qualquer momento (por exemplo, morfina). Na via intratecal, a infusão de fármaco é realizada com a liberação direta no líquido cefalorraquidiano (LCR), sendo normalmente utilizada em casos de meningite infecciosa ou carcinomatosa (Pratt, 1990).

Laís de Souza e Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar! \o/